Recuperação


Só por hoje

Nós precisamos dos membros da irmandade - da sua experiência, da sua amizade, das suas gargalhadas, da sua atenção, e de muito, muito mais. No entanto, muitos de nós hesitam em telefonar ao padrinho ou madrinha, ou em visitar os amigos da irmandade. Não queremos impor a nossa presença. Pensamos em telefonar a alguém, mas não nos sentimos merecedores do seu tempo. Receamos que se eles viessem a conhecer-nos - a conhecer-nos realmente - iriam certamente rejeitar-nos. Esquecemo-nos de que os nossos amigos da irmandade são iguais a nós.
Drogas: 

Contextos de abstinência e de recaída na recuperação da dependência química.

RESUMO

Foram entrevistados nove homens e três mulheres, residentes na região da cidade de Caxias do Sul - RS, todos diagnosticados como dependentes de substâncias, segundo critérios do DSM-IV, para que descrevessem suas experiências de abstinência e recaída nas tentativas de recuperação da dependência química. A análise qualitativa das entrevistas orientou-se pelos movimentos reflexivos de descrição, redução e interpretação fenomenológica.

Drogas: 

O que é um adicto e 12 Passos

A tarefa de definir adicção tem desafiado médicos, juízes, padres, adictos, suas famílias e as pessoas em geral, por toda a história. Existem tantas definições potenciais quanto existem grupos com interesses em definir adicção. A questão, inclusive, começa logo ao se nominar a doença: dependência química ou adicção, dependentes químicos ou adictos. Não importa, a verdade é que essas definições enfatizam coisas tais como dependência fisiológica, dependência psicológica, dinâmica familiar, problemas comportamentais e moralidade.

Drogas: 

O dependente químico em recuperação

O dependente químico em recuperação é a pessoa que tem uma doença incurável, por isso o dependente está em recuperação pela vida toda, é como se fosse um diabético, não tem cura.

Na doença da dependência química não existe culpado, somente responsável, a culpa termina nela própria, e a responsabilidade começa nela própria. Não sou culpado pela doença , mas sou responsável pelo tratamento e o estar em recuperação.

Drogas: 

As autoridades começam a tratar o problema das drogas mais como questão de saúde do que como caso de polícia.

Há sinais de fumaça no ar. Um incêndio está queimando antigas formas de olhar um velho problema: o uso de drogas. Um dos sinais de mudança foi dado quando o ministro da Justiça, o advogado José Carlos Dias, declarou-se, há duas semanas, favorável à descriminação da maconha. Outro sintoma de transformação apareceu quando o ator Maurício Mattar, namorado da vice-rainha dos baixinhos, Angélica, ousou arranhar sua imagem saudável de galã, mencionando dependência de cocaína.

Drogas: 

A dependência química e a PNL.

Seis a sete por cento dos americanos apresentam, em algum momento de suas vidas, sinais de dependência química (O'Brian e McKay, 1998, p.127). Nessa pesquisa, a palavra substância foi usada no sentido estrito de substâncias como álcool, cocaína, maconha ou ópio. A pesquisa excluiu a dependência de nicotina e cafeína, bem como qualquer dependência comportamental, como o jogo compulsivo. Neste artigo, vamos focalizar o uso de substâncias; mas as mesmas intervenções funcionam também em qualquer outro problema de dependência.

Drogas: 

Prudência, Memória e Docilidade na Recuperação do Alcoolismo.

1. Apresentação

Neste artigo apresentarei, de forma breve e despretensiosa, algumas reflexões a respeito da filosofia de recuperação adotada pelos grupos anônimos de auto-ajuda, particularmente a adotada pela Irmandade dos Alcoólicos Anônimos (AA), à luz da doutrina das virtudes cardeais de Santo Tomás de Aquino.

Drogas: