A metanfetamina, droga mais poderosa que o crack, pode "invadir" o Brasil

Abas primárias

Versão para impressãoVersão para impressão

O abuso de drogas psicotrópicas sintéticas é um fato na Europa e nos EUA. O Brasil, um país pouco "inovador" nessa área, tem seguido, com um certo atraso, as tendências de abuso de drogas que ocorrem nessas regiões, tanto que o ecstasy, embora já utilizado desde 1980 nos EUA, somente agora começa a ter adeptos brasileiros.

Porém, dentro dessa característica, destaca-se o consumo de metanfetamina (MT), um derivado da anfetamina. Introduzida na terapêutica em 1930 como descongestionante nasal, tornou-se uma droga largamente utilizada provocando várias "epidemias" de consumo no mundo devido a suas propriedades euforizantes, assim como suas ações em diminuir o apetite e o sono e aumentar o desempenho físico e intelectual. Um exemplo deu-se na Segunda Guerra Mundial, quando foi consumida por soldados alemães, ingleses e americanos para eliminar o cansaço e manter o vigor físico e a vigília. O Brasil não passou impune por essa onda, e, na década de 60, a MT era aqui vendida na forma de um medicamento de nome Pervitinâ, muito apreciado por jovens que dele faziam uso para aumentar sua capacidade produtiva.

Em pouco tempo, o Pervitinâ passou a sofrer abuso, originando vários casos de dependência descritos na literatura científica brasileira. Devido aos problemas causados, a MT foi banida no Brasil e em vários países da Europa, assim como nos USA. Porém, ela retornou ao cenário muito mais poderosa que anteriormente. Passou a ser fumada, da mesma forma como é feito com o crack, e conhecida, por essa via, como ice, chalk, speed, meth, glass, crystal etc. Por essa rota de administração, produz efeitos prazerosos intensos como: imensa euforia; aumento do estado de alerta, da auto-estima, da sexualidade; e diminuição da fome, do cansaço e da necessidade de dormir. Esses efeitos parecem ser desejáveis e controláveis, mas a droga tem um enorme potencial de dependência, e a "fissura" instala-se rapidamente. É comum o usuário que faz uso compulsivo apresentar: comportamento estereotipado, caracterizado por uma hiperatividade com desenvolvimento repetitivo, por horas, de certas atividades sem significado, às vezes acompanhada de ranger de dentes; síndrome coreica, com movimentos involuntários convulsivos, principalmente dos membros superiores, combinados a movimentos faciais assimétricos; confusão e delírios, e um progressivo estado psicótico indistinguível de esquizofrenia também se desenvolve com o uso crônico. Esses sintomas psicóticos podem persistir por meses ou anos, após o uso da droga ter cessado.

O uso crônico de MT também pode levar ao desenvolvimento de comportamento violento, caracterizado por ser bem mais intenso do que aquele observado com o uso do crack, em resposta aos delírios paranóides, expondo o usuário a situações de risco de vida. Nesses casos, é nítida a alteração da personalidade com irritabilidade e desconfiança de tudo e de todos. Com uso mais freqüente e prolongado, desenvolve-se a tolerância à sua ação euforizante; no entanto, o aumento crescente das doses produz um crescimento progressivo em seus efeitos comportamentais, como atividade locomotora, e também um aumento da ansiedade e da paranóia. Esse fenômeno é chamado de sensibilização e pode persistir por muito tempo, mesmo após a interrupção da droga.

O usuário de ice caracteriza-se por fazer uso da droga por horas ininterruptas ou mesmo dias, seguido por um período de parada, durante o qual sente extrema fadiga, exaustão, desorganização de idéias, hipersonolência, depressão e fissura, além de uma progressiva deterioração social e ocupacional. Problemas cardiovasculares são observados como: taquicardia, aumento da pressão arterial, podendo causar acidente vascular cerebral e infarto do miocárdio, ambos com risco de morte.

Os efeitos da abstinência da droga são prolongados, iniciados, numa primeira fase que pode durar de 2-6 horas, por depressão, isolamento, hiperfagia, agitação, ansiedade e desejo imenso de dormir. Quando finalmente o usuário consegue dormir, assim permanece por 24-36 horas ininterruptas. O desaparecimento desses sintomas pode levar dias ou semanas, com freqüentes períodos de depressão, sonhos vívidos e " fissura" pela droga.

A MT exerce seus efeitos indiretamente por elevar agudamente as quantidades de dopamina, noradrenalina e serotonina na fenda sináptica, aumentando a neurotransmissão monoaminérgica. O aumento da dopamina no sistema mesolímbico possivelmente é a origem das bases farmacológicas das propriedades reforçadoras da droga. Esse aumento das monoaminas na fenda sináptica dá-se por três mecanismos principais: bloqueia a recaptação das monoaminas, ligando-se às proteínas transportadoras desses neurotransmissores; promove a liberação desses neurotransmissores das vesículas armazenadoras localizadas nos terminais axônicos; e inibe a MAO, enzima que metaboliza as monoaminas. Estudos recentes em animais têm sugerido que a MT pode degenerar tanto neurônios dopaminérgicos quanto serotoninérgicos. Permanece para ser determinado se humanos expostos à MT também apresentam essa neurotoxicidade cerebral e quais as conseqüências funcionais dessa toxicidade. Além disso, a droga pode afetar as estruturas termorregulatórias do sistema nervoso central, podendo predispor os usuários à hipertermia.

Comparando-se os mecanismos de ação da MT e da cocaína, sabe-se que ambas bloqueiam a recaptação das monoaminas. Entretanto, o mecanismo íntimo desse bloqueio difere entre as duas drogas. De fato, a MT é capaz de ocupar o mesmo sítio que a dopamina na proteína transportadora localizada na membrana pré-sináptica. Já a cocaína age em outro sítio dessa proteína e, ao ocupá-lo, produz uma deformação alostérica do sítio da monoamina, impedindo, assim, a recaptação da dopamina.

A MT, quando comparada à cocaína, exibe diferenças em várias áreas que incluem duração de efeito, freqüência do consumo e duração do efeito compulsivo de repetir a droga. Por exemplo, a MT, dependendo da via de administração, varia de 4-8 horas, enquanto o efeito da cocaína é somente de 10-30 minutos. O crack (cocaína fumada) necessita ser consumido a cada 10-15 minutos, mas uma nova dose da MT, devido aos seus efeitos mais duradouros, só é necessária após horas. A duração média de um uso ininterrupto de crack é de 12 horas, porém, para o usuário de MT, é o dobro: 24 horas. O padrão de uso do ice é de 100-250 mg a cada 4-6 horas, por um período de 24-48 horas.

O ice ainda não foi detectado no Brasil, embora a MT tenha tido um papel importante nas décadas de 50 a 60 como droga de abuso. A sua detecção, como contaminante em comprimidos de Ecstasy comercializados no Brasil, demonstra que uma nova epidemia de consumo não está descartada. Porém, fica a pergunta ainda sem resposta: Por que o Ice ainda não despertou o interesse do consumidor brasileiro de drogas? Considerando todas as suas propriedades e seus efeitos de estimulante do sistema nervoso central, seria um forte concorrente do crack. Portanto, as autoridades brasileiras de saúde pública deveriam estar atentas para essa possibilidade.

 

Autores:

Solange A Nappo
Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp/EPM)

 

Drogas: 

Comentários

Existe a possibilidade do uso de metanfetamina provocar convulsão? Achei interessantissima essa materia, e o que me despertou a curiosidade em saber sobre ela, foi uma reportagem do Jornal Nacional de hoje, dia 30/10/09, mostrando a situação preocupante nos Estados Unidos sobre o uso dela.Deveria ser mais divulgada em radio, TV e revistas, antes que venha a surgir no Brasil, o que seria um desastre, já que temos cocaina, crack e maconha, que já causam grandes desgraças.Parabens pelo trabalho minucioso e informativo, até para leigos como eu.Suely Genofre Siede-Niteroi-RJ

A anfetamina causa convulsão sim, além de dependência, com o surgimento de síndrome de abstinência.

Esta se caracteriza principalmente pelo surgimento de sintomas depressivos e de exaustão, após períodos prolongados de consumo;

Durante o consumo pode levar a problemas cardíacos, como o infarto do coração.;

O consumo de grandes quantidades pode causar convulsão;

Consumir com freqüência durante vários meses pode levar a depressão, ansiedade, deixar a pessoa irritada, impulsiva e cansada.

fonte:http://xtrade.com.br/novosite/drogas_anfetaminas.htm

oi eu gostaria de saber as consequencias dessa droga eu a conheci, e digamos que muito bem,nao foi no Brasil mas agora gracas a Deus liberta desse vicio,vejo que mudou muita coisa em mim,nao se creio que meu sistema imunoologio ficou meio preguisozo,antes eu era magra e nao engoradava acil, agora nao sei creio que levo apenas uma semana para ganhar cerca de 3 quilos ou 2 e isso e comendo como se estivesse em uma dieta muito bem controlada,nao sei mais o que fazer oro a Deus que me cure pois isso nao ta certo eu quero ser uma pessoa normal denovo poder comer normal como todo mundo,a um tempo atraz cheguei ate a omessar a comer e vomitar porque o fato de engordar anormalmente rapito me encomoda e sabe oque acontecia, quando eu comia e vomitava eu nao engordavaera coisa de uma semana ou duas tava magra de novo voces como conhecedores dessa droga talvez saibam do que eu to falando , ja tentei explicar os medicos aqui pois ja procurei alguns pra ver se algum entendia oque esta acontencendo comigo e oque devo fazer para volta  a ter uma vida normal,mais nao entendem.porfavor , se voces tem uma resposta para mim respondam este meu comentario e se sabem digame como faco para voltar a ter uma vida normal,digo poder comer , emagracer e ate mesmo engordar mais em tempo normal, e nao exaseradamente em uma ou duas semanas,pois numa semana to magra e na outra to mais cheia pra nao dizer gordinha por favor respondame.desde ja agradeco. Hoje sou convertida a mais de tres anos que nao uso esta droga e posso dizer que so Jesus pode libertar dessa droga e Ele liberta, mais, Deus perdoa o pecador, mais a consequencia do pecado vem e eu to sofrendo com essa consequencia se podem me respondem por favor.que Deus os abencoe.Obrigada. 

Voce ja verificou se esta com hipotiroidismo?

TUDO MUDA AO USAR DROGA,VC PERDE TUDO INCLUSIVE A

LIBERDADE

Você deveria procurar algum profissional da saúde mental. Pelo seu relato, me parece que vc talves tenha desenvolvido transtorno alimentar.

 

so Jesus liberta, e nao liga para lagumas pessoas qu eso querem t

e ver na lama. esses vao primeiro. Deus e justo. bjs e te cuida, so nao temossaida para a morte. Paz de Deus

Muita dopamina aumenta muito o cortisol..aumentando o cortisol d+ vc diminui sua produçao.causando cansaço aumento de peso,aumento da circunferencia abdominal.

 

esse estado chama fadiga adrenal.

agora se vira muleke(a)

quem nunca usou drogas quando usa isso pela primeira ves podi senti falta

EITA TREM GOSTOSO ESSA METANFETIMA VIU....

Fui casada com um dependente de drogas, o que me ensinou muito sobre eles.

Tenho, agora acompanhado um programa chamado INTERVENÇÃO que conheci ao assinar a SKY, na NET não havia este canal.

Ainda não é uma realidade brasileira, mas penso que por pouco tempo.

Meu ex-marido fez uso de uma das 1ªs anfetaminas injetáveis que foi comercializada livremente aqui, (acho que foi escrito seu nome incorretamente), mas é comprada livremente na Argentina, O PERVINTIN, e seu uso está mostrando um significativo aumento.

Ele me contou seus efeitos e são muito intensos.

Quero mesmo é divulgar esse programa, na SKY passa no canal 50 (A&E Ação e Emoção) pois mostra um programa que há 10 anos está sendo desenvolvido pelo Gonerno Americano com 70% de sucesso, e pode ser visto no site A%EWEB.TV, vale a pena ser visto!

É um programa muito bom mesmo. Já vi algumas vezes.

Tanto esse programa "Intervenção" quanto o "Obsessivos Compulsivos", tratam de coisas que parece que os canais abertos no Brasil, tentam esconder. Isso daria audiência em qualquer canal.
Graças a Deus, também tenho o privilégio de ter acesso a esse conteúdo. Em casa, assinamos NET e no pacote, veio esse canal. Deve ser pacote novo. Vale a pena. Geralmente quem assina até o canal 59, ou seja antes de chegar nos telecines, perde todo esse conteúdo de documentários e filmes importantes.

Já comprei no Brasil, mais especificamente na fronteira com o Uruguai. Lá morava um suéco nacionalizado uruguaio que cozinhava o troço a partir de algums comprimidos que não lembro o nome, mas sei que são proibidos no Brasil.

Meu, vocês não fazem idéia da viagem, cara....

o bagúio é cabuloso, foda é que detona as narinas, bem diferente de um pó da massa, se é que me entendem...hehehe

Se souber usar, e, claro, se primar pelo auto-controle, bem como o modo de lidar com as "emoções" estivar sob controle, vale a pena o experimento, cientificamente falando...

Mas não recomendo, essa droga é do mal (do capeta), assim como os derivados da cocaína, assim como tudo que é químico.....

Toma um café bem forte que é melhor...

Não recomendo na forma "supozitório".

Arde demais. Muito ruim.

Só se contenta com o Bom quem ainda não conhece o òtimo

essa pora nao deve ser usada muito se nao voce fica fudido meu.

Sempre que alguém me perguntava, qual era a pior droga, eu falava metanfetamina e eles falavam crack, eu ja li muito sobre a droga, e sei como ela é perigosa.

Quem nao tem amor a vida usa mesmo...