Codependência


Carta aberta a minha família

Sou um usuário de drogas. Preciso de ajuda. Não resolvam meus problemas por mim. Isto somente me faz perder o respeito por vocês. Não censurem, não façam sermões, não repreendam, não culpem ou discutam, esteja eu drogado ou sóbrio. Isto pode fazer vocês se sentirem melhor, mas só vai piorar a situação. Não aceitem minhas promessas. A natureza da minha doença me impede de cumpri-las, mesmo que naquele momento tencione fazê-las. As promessas são meu único meio de adiar a dor. E não permitam mudanças de acordos. Se um acordo foi feito, mantenham-se firme nele.

Atitudes conscientes

Sugestões para garantir atitudes conscientes em relação as drogas

CONVERSE COM SEUS FILHOS SOBRE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS

Isto poderá ajuda-lo a mudar de idéia de que ingerir álcool, fumar e usar outras drogas é uma atitude normal e aceita.

ESCUTE ATENTAMENTE SEUS FILHOS

Eles irão compartilhar suas experiências com você. Demonstre interesse e escute-os atenta e ativamente a cada momento de sua fala.

O Tratamento da Família na Dependência Química

Introdução

A inclusão da família no tratamento de dependentes químicos tem sido consideravelmente estudada, no entanto, não existe um consenso sobre o tipo de abordagem a ser utilizado, dentre as várias propostas. A literatura tem concluído que a terapia familiar e de casal produzem melhor desfecho quando comparada com famílias que não são incluídas no tratamento1,2. Dentro deste contexto, três modelos teóricos têm dominado a conceitualização das intervenções familiares em dependência química: o modelo da doença familiar; o sistêmico e o comportamental.